sexta-feira, 17 de janeiro de 2014

blue friday

Das coisas que mais me deixam triste na vida: chegar em casa e ninguém perguntar como eu estou ou como foi meu dia.

quinta-feira, 22 de novembro de 2012

Fábulas da vida real


"Nós temos que errar nessa vida, seja para aprender ou seja porque nós somos imperfeitos. O nosso problema, no caso, é que erramos com a pessoa certa". 

Moral da história: não sabiam que estavam errados, muito menos que eram as pessoas certas. Também não se preocuparam em aceitar, mas tiveram um final feliz mesmo que ainda não tenha acabado. 


terça-feira, 13 de novembro de 2012

Caixa de entrada

Em 13 de novembro de 2012 20:19, O salvador do dia <muitoamor@gmail.com> escreveu:

Ei, você!
Quanto tempo faz? Semanas? Meses? Não importa. Nosso tempo não passa assim (ou, pelo menos, não deveria ser).
Eu perguntaria se está tudo bem, mas eu sei que não está. Sei que você está mal, destruída, atordoada e que também está evitando pensar sobre isso para não desmoronar.
Você quer abraço pra poder chorar de soluçar e pra ouvir que vai ficar tudo bem.

Sabe, vai ficar tudo bem (eu sei que parece um tanto frio quando você não pode encher minha camiseta de lágrimas, mas acredite em mim: Vai ficar tudo bem).

É isso. É a vida: dias ruins, dias bons, dias... Você é maior do que isso porque não é assim que se conta o tempo da vida (ou, pelo menos, não deveria ser).

Um abraço bem apertado, demorado e cheio de amor.

(é o que dá pra fazer agora)

Com carinho

sexta-feira, 2 de novembro de 2012

in my place


Você nunca vai saber quem eu sou ou o que fiz. Meus sonhos e meus medos, do que eu gosto ou do que eu não gosto.
Seu olhar sempre irá até onde você consiga ver o que acha que está certo, sempre superficial. Você vai distorcer minha imagem, minhas palavras, minha vida. Vai me fazer acreditar que eu estou sempre errada e eu sempre estarei me sentindo culpada.
Você nunca vai ouvir com atenção ou com interesse e eu vou falar, falar e falar e quando eu perceber, você já terá saído dali ou vai dizer que eu falo demais.
Não ganharei abraços, boa noites, apoio moral ou remédio quando eu estiver doente. Você não vai estar lá quando eu precisar, mas vai dizer que eu preciso crescer sozinha.
Nunca haverá um elogio seu, mas sempre as dúvidas sobre as minhas conquistas e também tudo o que eu fiz errado.

Esse é o limão que a vida me deu e eu não sei fazer limonada. Tudo o que eu queria era encontrar o meu lugar no mundo e deixar o limão para trás. 


"I don’t exactly feel lost, it’s more like I feel misplaced. I most belong somewhere, but I don’t think I belong here".


domingo, 30 de setembro de 2012

#SemptemberBestGifsAwards

Vai começar, vem gente!

Boa noite, lindos e lindas, está no ar o "September Best Gifs Awards"! Recebam nossas apresentadoras da noite: Nayara Henriques e Isabella Daian!


N: Boa noite!
I: Boa noite!

N: Antes de começarmos a entrega do prêmio, em homenagem ao The Voice Brasil, temos uma apresentação especial de Claudinha Milk


I: Ops! Vamos agora ao nosso título "Hors Concours"... Estrelando Ryan Gosling e Rachel McAdams.


N: Também conhecido "Prêmio Recalque nosso de cada dia"... E agora, na categoria "All my feelings", o vencedor é... 

I: Parabéns, Kurt! Vamos dar uma olhada na nossa platéia? 


I: E agora uma homenagem a nós, mulheres, com Jennifer Aniston.

N: E agora, na categoria "Tô nem aí", a vencedora é... Nina Dobrev! 


I: E na categoria "Transporte da Depressão", o vencedor é...

N: Conta pra gente, Charlie, o que vem agora...

I: É categoria "F*cking Ben"! E a vencedora é...
N e I: CAMERON DIAZ!


N: E com vocês LMFAO e Ricky Martin!



I: E vencedor da categoria "Estagiário Merece" é... 


N: Alô, produção, estamos com alguns problemas na platéia!

I: Calma, Nay, Harry Potter foi resolver nosso problema!



I: Ou não!
N: E agora, na categoria "Melhor descrição de vida amorosa"... nossa vencedora é...

I: IT'S BRITNEY, BITCH!

I: Na categoria "Let me love you", o vencedor é ele... o grande, forte e poderoso: HULK!


N: Parabéns, seu lindo!


I: E na categoria "Melhor Jurado", nosso vencedor é o insubstituível: SIMON!

N: Vamos ver algumas reações da platéia!

N: E na categoria "WTF?", o vencedor é...


I: Vamos aos agradecimentos dos vencedores...

N: E na categoria "Como sobreviver na solteirice atual", a vencedora é...


I: PAREM TUDO... CHEGOU O GRANDE MOMENTO!


N: O grande prêmio da noite!
I e N: THE SEPTEMBER BEST GIF!

I: E o vencedor é...
N: Música de suspense...

...
...
...

...

...

PARABÉNS, LANA, CHANDLER E BRITNEY! 

Até outubro!

quarta-feira, 26 de setembro de 2012

under my umbrella, ella, ella, ê, ê, ê!

Veio a chuva e levou embora todo meu sofrimento com aquele calor sem fim. Não nasci para o calor. Fico lenta, irritada, tudo incomoda e ainda nasci num lugar sem praias (ah é! não gosto de praia).
Adoro chuva. Eu sei que há os problemas de trânsito, transporte público, enchentes, mas ainda me encho de amor nos dias cinzas e úmidos. 
E o que é bom pra fazer nos dias de chuva? Beijar (ok, é bom na rua, na chuva, na fazenda, na casinha de sapê... mas, na chuva tem um charme a mais). 

Não tem clichê mais deliciosamente molhado do que esse. Então, vamos aproveitar, né? 
Já vou começar com um argumento muito forte (lindo, sensual, vem ser lindo aqui do meu lado): Ryan Gosling. 
"It wasn't over. It still isn't over" (O cara te pega com um braço só! Só pra constar).

Tem também o argumento heroico. Fala Beija aí, Peter Park! 

Ah é! E tem a versão The O.C. desse beijo. Que a coisa mais fofa dessa vida - clique aqui
"Cohen is so hot"

Tem também o argumento Bonequinha de Luxo. Que é muito amor <3

Tem beijo de Homem sem Medo (Demolidor) que é um dos meus filmes favoritos e que também entra nos beijos heroicos (vida épica também é boa HAHAHAHAHAHAH) 

Tem tá permitido para amor adolescente. Revisar contos de fadas faz um bem danado (Hilary Duff e Chad Murray Michael que o digam). 

Falando em Chad, temos que falar em One Tree Hill. É quase uma família com tradições de beijos na chuva.

Alá, Lucas (Chad de novo)! 

Querido John, choveu e me lembrei de você. Saudades. 

Pela minha pesquisa, montei uma pasta com mais de 200 imagens e 50 vídeos, mas, na boa, DESLIGA ESSE COMPUTADOR E VAI BEIJAR NA CHUVA!


Amanhã tem música para dias de chuva!


Fonte das imagens: Título, The Notebook, Spiderman

sábado, 22 de setembro de 2012

Não era amor, era virose

Ele tinha dezoito anos e era lindo, ainda é. Ela tinha quatorze e acreditava que mudaria o mundo, mudou. A verdade é que ela parecia saber muito mais da vida do que ele, mas não sabia. Provavelmente sabiam o mesmo e era bem pouco. 
Se gostavam de verdade, queriam que aquilo funcionasse. "Aquilo" era um namoro que ela apelidou de "rolo sério" e ele apenas não se preocupou com nomes, afinal eles estavam juntos e era só o que importava. O problema é que em algum ponto dessa história, eles passaram a se importar demais com outras coisas. 
Ninguém sabe dizer se foi aí que tudo deu errado ou se já estava errado desde o começo, entretanto a lembrança daquela semana parece ser a melhor explicação. 
Uma semana inteira de saco cheio. Uma semana para ficar do lado de quem se gosta. Uma semana que começou no final da sexta-feira e que logo se transformou num festival de dores, febre, enjoos... 
Ela achou que iria morrer. Ele riu. Então, ele achou que havia morrido. Ela apenas desejou que tudo aquilo acabasse logo. 
Não poderia ficar pior e então resolveram tornar aquela situação num "veja pelo lado bom". Não que houvesse algo realmente positivo em se passar horas deitado no chão do banheiro porque ela se recusa a vomitar, mas era o que tinha para aquele hoje. 
A semana foi longa, os dias intermináveis e nada daquilo parecia certo. Por mais que tentassem, apenas se cansavam mais. E quando ela chorou porque apenas queria ir para casa, ele apenas a abraçou e disse que tudo ficaria bem, mas que se ela realmente quisesse ir antes disso, ele a levaria. 
Ela ficou bem. Então, foi a vez dele de se contorcer em desespero, em dor. Ela apenas ficou ali ao lado e disse que jamais sairia dali. 
A semana chegou ao fim, os remédios fizeram efeito, a dor passou e eles estavam bem, juntos e era o que mais importava naquele momento. E, ainda assim, não era amor, era virose.