sábado, 22 de setembro de 2012

Não era amor, era virose

Ele tinha dezoito anos e era lindo, ainda é. Ela tinha quatorze e acreditava que mudaria o mundo, mudou. A verdade é que ela parecia saber muito mais da vida do que ele, mas não sabia. Provavelmente sabiam o mesmo e era bem pouco. 
Se gostavam de verdade, queriam que aquilo funcionasse. "Aquilo" era um namoro que ela apelidou de "rolo sério" e ele apenas não se preocupou com nomes, afinal eles estavam juntos e era só o que importava. O problema é que em algum ponto dessa história, eles passaram a se importar demais com outras coisas. 
Ninguém sabe dizer se foi aí que tudo deu errado ou se já estava errado desde o começo, entretanto a lembrança daquela semana parece ser a melhor explicação. 
Uma semana inteira de saco cheio. Uma semana para ficar do lado de quem se gosta. Uma semana que começou no final da sexta-feira e que logo se transformou num festival de dores, febre, enjoos... 
Ela achou que iria morrer. Ele riu. Então, ele achou que havia morrido. Ela apenas desejou que tudo aquilo acabasse logo. 
Não poderia ficar pior e então resolveram tornar aquela situação num "veja pelo lado bom". Não que houvesse algo realmente positivo em se passar horas deitado no chão do banheiro porque ela se recusa a vomitar, mas era o que tinha para aquele hoje. 
A semana foi longa, os dias intermináveis e nada daquilo parecia certo. Por mais que tentassem, apenas se cansavam mais. E quando ela chorou porque apenas queria ir para casa, ele apenas a abraçou e disse que tudo ficaria bem, mas que se ela realmente quisesse ir antes disso, ele a levaria. 
Ela ficou bem. Então, foi a vez dele de se contorcer em desespero, em dor. Ela apenas ficou ali ao lado e disse que jamais sairia dali. 
A semana chegou ao fim, os remédios fizeram efeito, a dor passou e eles estavam bem, juntos e era o que mais importava naquele momento. E, ainda assim, não era amor, era virose. 


3 comentários:

Victoria disse...

Apenas maravilhoso. Adoro quando você atualiza aqui e por favor apareça mais vezes!
E eu ainda acho que era amor. Mas enfim.
Beijo!

Lívia Arcanjo disse...

E eu ainda acho que era amor. Mas enfim.²

Lívia Arcanjo disse...

E eu sempre amo quando você posta...