quinta-feira, 22 de novembro de 2012

Fábulas da vida real


"Nós temos que errar nessa vida, seja para aprender ou seja porque nós somos imperfeitos. O nosso problema, no caso, é que erramos com a pessoa certa". 

Moral da história: não sabiam que estavam errados, muito menos que eram as pessoas certas. Também não se preocuparam em aceitar, mas tiveram um final feliz mesmo que ainda não tenha acabado. 


terça-feira, 13 de novembro de 2012

Caixa de entrada

Em 13 de novembro de 2012 20:19, O salvador do dia <muitoamor@gmail.com> escreveu:

Ei, você!
Quanto tempo faz? Semanas? Meses? Não importa. Nosso tempo não passa assim (ou, pelo menos, não deveria ser).
Eu perguntaria se está tudo bem, mas eu sei que não está. Sei que você está mal, destruída, atordoada e que também está evitando pensar sobre isso para não desmoronar.
Você quer abraço pra poder chorar de soluçar e pra ouvir que vai ficar tudo bem.

Sabe, vai ficar tudo bem (eu sei que parece um tanto frio quando você não pode encher minha camiseta de lágrimas, mas acredite em mim: Vai ficar tudo bem).

É isso. É a vida: dias ruins, dias bons, dias... Você é maior do que isso porque não é assim que se conta o tempo da vida (ou, pelo menos, não deveria ser).

Um abraço bem apertado, demorado e cheio de amor.

(é o que dá pra fazer agora)

Com carinho

sexta-feira, 2 de novembro de 2012

in my place


Você nunca vai saber quem eu sou ou o que fiz. Meus sonhos e meus medos, do que eu gosto ou do que eu não gosto.
Seu olhar sempre irá até onde você consiga ver o que acha que está certo, sempre superficial. Você vai distorcer minha imagem, minhas palavras, minha vida. Vai me fazer acreditar que eu estou sempre errada e eu sempre estarei me sentindo culpada.
Você nunca vai ouvir com atenção ou com interesse e eu vou falar, falar e falar e quando eu perceber, você já terá saído dali ou vai dizer que eu falo demais.
Não ganharei abraços, boa noites, apoio moral ou remédio quando eu estiver doente. Você não vai estar lá quando eu precisar, mas vai dizer que eu preciso crescer sozinha.
Nunca haverá um elogio seu, mas sempre as dúvidas sobre as minhas conquistas e também tudo o que eu fiz errado.

Esse é o limão que a vida me deu e eu não sei fazer limonada. Tudo o que eu queria era encontrar o meu lugar no mundo e deixar o limão para trás. 


"I don’t exactly feel lost, it’s more like I feel misplaced. I most belong somewhere, but I don’t think I belong here".